Sismografia | 27 de junho de 2016 - 13:21

Precisamos falar das pedaladas ( as reais, não as fiscais)

Gosto de andar a pé. E me prometo comprar uma bicicleta já há alguns anos. Não é tanto pela economia, ou pelo meio ambiente, mas é porque me faz pensar. Os melhores pensamentos que já tive, foram caminhando. Contudo, com a azáfama geral dos últimos meses, tenho circulado apenas de carro. Dia desses, fui a Belford Roxo visitar um amigo. Estacionei o Celta em frente à Casa de cultura e aguardei. Em cinco minutos, meu amigo surgiu em sua bicicleta. Ele tem menos de um metro e setenta, mas parecia gigante.


Comecei a segui-lo. E, confesso, senti-me estranho. Eu seguia devagar, vendo o amigo na bicicleta. Ela, tão magrinha. Meu carro, enorme. Desproporcional. Pra que um meio de transporte daquele tamanho? Era só pra mim e pronto. De repente, meu carro começou a parecer um objeto desajeitado, bruto, feio. E a bicicleta me pareceu esbelta, perfeita... tecnologicamente avançada, futurista. Eu era um homem atrasado. E o meu amigo, um visionário. 


Com os buracos da cidade, nem preciso dizer quem chegou primeiro.


 


CARRO OU BICICLETA? RELAÇÃO CUSTO-BENEFÍCIO


Num balcão de bar, certa vez, um conhecido me confidenciou que, quando substituiu o carro pela bicicleta, teve uma impressão de liberdade indescritível: o vento no rosto, a movimentação do corpo tirando-o da inércia e, por consequência, da vida sedentária, a sensação de estar gerando energia sem ajuda de nada a não ser sua própria força e, ainda, a consciência limpa em relação ao meio ambiente.


A única situação que sentiu falta do seu carro foi quando uma morena passou ao seu lado. Em vez de deselegantemente olhar pra trás, algo que ele não gostava de fazer, seus olhos  procuraram, como de costume, o retrovisor... que obviamente não existia. "Era como se não houvesse chão, meu amigo, eu queria arrancar meus olhos fora e virá-los pra trás", contou-me, aborrecido. Não sei se pela embriaguez, mas o fato é que fiquei sensibilizado.


  • Seus dados

  • Nome completo *
    Digite seu nome completo
  • E-mail *
    Digite seu nome completo

  • Dados dos seus amigos

  • Limite de 10 e-mails por envio.
  • Nomes *
    Caso queira enviar para vários amigos, basta separar os nomes com vírgulas.
    Exemplo: George Gonçalo, Ana Leticia, Mauro Gomes
  • E-mails *
    Digite os e-mails dos seus amigos. Siga a mesma ordem dos nomes.
    Exemplo: george@email.com, ana@email.com, mauro@email.com
  • Mensagem *
    Essa mensagem será enviada para seus amigos, junto com a indicação

Sobre o autor

Escritor e professor.

Nenhum comentário

Seja o primeiro