Saúde | 21 de junho de 2017 - 10:40

Nova Iguaçu inicia campanhas contra febre amarela, HPV e Meningite C

Baixada Fácil
Nova Iguaçu inicia campanhas contra febre amarela, HPV e Meningite C

Em Nova Iguaçu, mais de 50 postos de saúde estão sendo disponibilizados para a imunização simultânea de três campanhas de prevenção: contra o Human Papiloma Virus (HPV), Meningite C (atualização da caderneta com reforço para quem já tomou a primeira dose na infância) e Febre Amarela, sendo que esta última está sendo intensificada, ampliando o público alvo para atender toda população, e não mais os que viajam para áreas de epidêmicas da doença. 


Desde o início do ano, mais de 116 mil iguaçuanos foram imunizados contra febre amarela, o que representa cerca de 16% da população, número considerado baixo pela Secretaria de Saúde. De acordo com o secretário de Saúde, Hildoberto Carneiro, a ação é uma medida preventiva e seguirá até dezembro deste ano.


“Além da vacinação, não podemos esquecer que a prevenção é importante e os cuidados para evitar os focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da febre amarela e outras doenças devem ser constantes. As duas vacinas, tanto HPV quanto febre amarela são importante como forma de precaução”, ressalta. 


A vacinação contra Febre Amarela segue até dezembro deste ano. Já para HPV e Meningite C, a campanha termina no dia 21 de julho. Nestas, o público alvo também ampliou. Agora, além de meninas com idades de9 a14 anos e portadores de HIV de9 a26 anos, os meninos de12 a14 anos também podem ser vacinados. Nesta terça-feira (20), segundo dia de campanha, houve baixa procura aos postos. A meta é vacinar até o fim da campanha, cerca de 67 mil adolescentes incluídos nesta faixa etária. Para garantir maior proteção contra o vírus, a segunda dose da vacina de HPV deve ser feita após seis meses da primeira. Elas atuam no combate ao câncer do útero, que pode ter início com o HPV, doença sexualmente transmissível.  


No dia 1° de julho (sábado) acontecerá o “Dia D”, onde todos os postos estarão abertos e vacinando contra o HPV e Meningite C, das 8h às 17h. O objetivo é chamar a atenção dos pais e responsáveis, principalmente aos que trabalham durante a semana e não podem levar os filhos ao posto de saúde.  


Nos últimos quatro anos o números de casos de Human Papiloma Virus (HPV) no município tem diminuído. Em 2014 foram 210 casos registrados. No ano seguinte, 136 e em 2016, 115 casos foram confirmados. 


Atenta sobre a importância da vacinação, Midiam Rodrigues Costa Lemos levou a filha, Anna Carolina Rodrigues Costa Lemos, de 9 anos,  e garantiu a primeira dose da vacina. 


“Sei que existe muito preconceito com relação a essa vacina, mas ele não pode ser maior do que a prevenção. Se é importante vacinar enquanto jovem, então nós como pais temos que fazer o melhor para nossos filhos. Trouxe a minha e já orientei vários amigos a fazerem o mesmo com seus filhos”, disse.