10 de fevereiro de 2011 - 19:57

Confira entrevista com o secretário Gutemberg Cardoso

Shirley Costa e Silva

Confira entrevista com o secretário Gutemberg Cardoso
À frente da Secretaria de Cultura de Duque de Caxias desde julho do ano passado, pela segunda vez, o baiano de nascimento e caxiense de coração, Gutemberg Cardoso, está tendo sua gestão marcada por grandes iniciativas no âmbito cultural e turístico do município. Em entrevista exclusiva ao Baixada Fácil, ele fala de vários destes projetos.

Em março, o secretário pretende criar o Café com o Secretário, no qual receberá, uma vez por mês, produtores e ativistas culturais para discutir propostas para a cidade.

Confira a entrevista:

Sua gestão está sendo destaque no fomento à cultura no município. Quais os projetos que já saíram do papel e quais os outros que estão prestes a sair?
Entre os que já saíram do papel temos, por exemplo, o VII Festival Nacional de Teatro, onde quase 90 grupos teatrais de todo o país se inscreveram. 30 grupos foram selecionados e tivemos 14 dias de atividades culturais na cidade.

Outro dado importante foi a Comemoração do 6º ano de aniversário do Centro Cultural Oscar Niemeyer, em setembro, onde tivemos várias vertentes culturais se apresentando, como teatro e dança de rua, hip-hop, entre outras.

Houve também o Concurso de Poesia, onde mais de 300 participantes se inscreveram e no encerramento tivemos uma festa muito bonita no Teatro Raul Cortez com a presença de mais de 400 pessoas.

Para esse ano, nos agendamos uma série de atividades. Em janeiro, nós realizamos o Festival de Batalha de Dança de Rua, que entrou para o calendário oficial da cidade. Estamos planejando também um resgate do Carnaval, como acontecia em anos anteriores na cidade. Todas as noites haverá bailes noturnos no “Boca para Fora”, do Teatro Raul Cortez. Em abril, teremos o primeiro Festival Nacional de Dança, que também entrará para o calendário oficial da cidade. Ainda em abril, iniciaremos os cursos da nossa escola de arte, como contação de história, iniciação ao teatro, à pintura, etc. Estes cursos funcionarão na Casa Brasil, em Imbariê, na Biblioteca de Xerém e no Teatro Armando Melo, que será revitalizado e transformado em um teatro escola. Em março, vamos relançar a Revista da Cultura e do Turismo. Em julho, teremos o Concurso de Fotografia e também vamos lançar o projeto “Canto da Cidade”, ali no entorno do Raul Cortez, onde teremos um espaço para voz e violão. O encerramento de todas as atividades mensais será com o Festival Nacional de Música, em dezembro.

Na próxima sexta-feira, dia 11, estaremos lançando a Estação do Samba, no espaço Forró na feira, a partir das 17h. No dia 18 de fevereiro, às 11h, na Biblioteca Leonel de Moura Brizola, abriremos a exposição de fotografias “Barack Obama: O cara que poucos conhecem”, que é uma parceria da Secretaria com o Consulado Norte-Americano. Teremos a presença do cônsul americano que virá fazer a abertura. Em maio, também receberemos a mostra de Martin Luther King. O Palácio da Cultura está em andamento e até dezembro entregaremos o Museu de Memória Política Tenório Cavalcanti, que já está com um bom acervo.

No inicio da sua gestão, você disse que estava nos seus planos a construção de um museu de arte contemporânea assinado por Oscar Niemeyer. A idéia inicial foi modificada, com o Palácio de Cultura, também assinado por Niemeyer, ou ainda está nos planos a construção deste museu?
Os planos não mudaram, foram acrescidos com o Palácio da Cultura, pois percebemos que as necessidades eram muito maiores. Agora, além de uma área dedicada às artes, teremos neste espaço um salão de belas artes, ateliê, escola de pintura, escola de música, escola de dança, auditório, biblioteca multimídia, cyber café, casa do artesão, com espaço para exposição, venda, oficinas e cursos, além de estúdio de áudio e vídeo, no qual artistas independentes poderão usar para gravar seus CDs.


Faz parte do seu plano de governo movimentar também o turismo na cidade. Quais as novidades que os caxienses podem esperar neste sentido?
Acredito que a maior novidade será o lançamento do inventário turístico da cidade, em março. Neste site, as pessoas terão acesso às informações culturais, turísticas e gastronômicas do município. O inventário é uma exigência do Ministério de Turismo, para que se tenha acesso à verba dedicada ao setor. Em março também iniciaremos o primeiro roteiro turístico da cidade, chamado Caminhos do Ouro, Caminhos da Fé.


Ativistas culturais do município reclamam do fato do poder público produzir e investir na cultura mais no centro da cidade. O que sua gestão está fazendo no sentido de valorizar a cultura também na periferia e interior do município?
Está previsto a construção de duas bibliotecas multimídias, uma no Jardim Primavera e outra no Museu da Taquara, que acompanhara a revitalização do espaço. Estamos vendo com a equipe do Oscar Niemeyer a possibilidade destas bibliotecas serem projetadas pelo arquiteto. Após o Carnaval, daremos inicio ao projeto itinerante “Cultura em Movimento” na Praça da Rua 2, em Jardim Primavera. A cada 15 dias, o projeto percorrerá outras localidades, levando espetáculos teatrais, Hip-hop, exposição de fotografias e pinturas e shows de artistas locais às comunidades.


Você veio da Bahia para Duque de Caxias aos três meses de vida e sempre morou no município. Qual a diferença da cidade da sua adolescência e a cidade hoje no âmbito cultural e do lazer em geral?
Caxias é outra cidade hoje. A Caxias da minha adolescência era a das valas abertas, empoeirada, do escuro, sem bibliotecas. Hoje conta-se a dedo as ruas que não foram saneadas, existe um fomento à cultura e é a segunda cidade no Brasil que mais oferece perspectiva de emprego. Hoje ela não deixa muito a desejar em relação às outras cidades.


Quais lugares de Caxias você costuma freqüentar nos momentos de lazer?
O quarto distrito. Gosto muito do verde. Como Caxias é uma cidade que cresce muito, você acaba tendo que conviver com o concreto, por isso é muito bom, de vez em quando, dá uma fugida para contemplar a natureza. E o verde da Taquara é uma coisa maravilhosa.

  • Seus dados

  • Nome completo *
    Digite seu nome completo
  • E-mail *
    Digite seu nome completo

  • Dados dos seus amigos

  • Limite de 10 e-mails por envio.
  • Nomes *
    Caso queira enviar para vários amigos, basta separar os nomes com vírgulas.
    Exemplo: George Gonçalo, Ana Leticia, Mauro Gomes
  • E-mails *
    Digite os e-mails dos seus amigos. Siga a mesma ordem dos nomes.
    Exemplo: george@email.com, ana@email.com, mauro@email.com
  • Mensagem *
    Essa mensagem será enviada para seus amigos, junto com a indicação

Acompanhe os comentários...

Total: 3 comentários


  • 23 de fevereiro de 2011 - 18:30
    Marcelo Sopa diz:
    Boas ideias e projetos, contempla, hip-hop, samba, dança, poesia, arte, fotografia. Bem legal isso.

  • 10 de fevereiro de 2011 - 23:09
    Eduardo Ribeiro diz:
    Antônio, a principal missão do B.F. é divulgar as ações positivas da Baixada. Nossa relação com o secretário Gutemberg é jornalística, mas vejo que ele é uma pessoa bastante acessível, inclusive na entrevista é relatado que ele fará o "Café com o secretário" onde receberá produtores, artistas e ativistas culturais, para discutir projetos.

  • 10 de fevereiro de 2011 - 20:39
    Antonio Carlos Oliveira diz:
    Gostaria de saber do Sr. Secretário porque os projetos que apresentamos à Secretaria de Cultura não temos o menor retorno. Nenhuma ligação, um email, nada. Protocolamos um pedido de apoio para concluirmos o filme "Vento forte do Levante - Solano Trindade", uma produção 100% caxiense, e não obtivemos nenhuma resposta do Sr. Secretário. Quem sabe com a influência do BF, intermedie uma ponte entre nós da Biblioteca Comunitária Solano Trindade e o Sr. Secretário, visto que o Mnistério de Cultura nos reconhece, mas a nossa Secretaria de Cultura ainda não o fez.