28 de março de 2017 - 18:46

Queimados promove debate sobre a humanização no atendimento à mulher vítima de violência

Baixada Fácil

A violência contra a mulher ainda é um grande tabu na sociedade. Mesmo com toda a informação que se tem a respeito do tema, ainda encontramos resistência por parte dos órgãos públicos quanto ao atendimento às vítimas.  Pensando nisso, uma ação conjunta entre a Secretaria Municipal de Saúde e a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Promoção da Cidadania, de Queimados, irá promover na próxima quinta-feira (30/03), a partir das 9h, o seminário “Revitimização Secundária – Entraves no Atendimento”, no teatro da Escola Municipal Metodista.


A proposta é que, através dessa ação, possa ser feito o mapeamento da violência, a integração e aprimoramento da comunicação na rede de enfrentamento à violência, a fim de que as mulheres vítimas ou em situação de violência tenham um atendimento mais humanizado.


De acordo com a secretária municipal de Saúde, Lívia Guedes, é muito importante que os agentes que atendem às vítimas estejam preparados para receber e apoiar as pessoas violentadas. “É importante que haja esse preparo, o atendente deve saber como se aproximar da vítima, como se portar e como falar, para que essa pessoa, que já sofreu um grande trauma, se sinta confortável para falar sobre o assunto e para que denuncie o abuso sofrido. A maior causa da desistência dessas mulheres de denunciar os abusos sofridos sejam eles de qualquer natureza, é o mau atendimento”, destacou.



Responsabilidade e sigilo no atendimento às vítimas


“Revitimização Secundária” é a situação de a vítima ter a frustração de não ser atendida, ter um atendimento precário ou a omissão do profissional. Isso faz com que a vítima volte a sofrer violência novamente, pelo descaso, falta de acolhimento ou mau orientação desses profissionais.


Além de tentar melhorar o atendimento, o debate discute, também, sobre como manter o sigilo e responsabilidade de proteger a dignidade e preservar a integridade moral da pessoa, adulto ou criança que teve seu corpo violado.


De acordo com o secretário de Assuntos Institucionais/Direitos Humanos, Carlos Albino, é dever do atendente garantir a integridade moral da vítima, sem julgar seus atos ou escolhas. “Não cabe ao profissional que atende à vítima julgar o porquê dela estar prestando queixa. O que se deve fazer é sempre prestar os devidos esclarecimentos e atender da maneira mais gentil possível àquela pessoa que já está mal pelo ocorrido. Devemos deixar nossas opiniões de lado e focar somente na pessoa que precisa ser ajudada naquele momento. Isso faz com que a vítima se sinta mais segura em denunciar e, consequentemente, diminua o índice de reincidência da violência doméstica”, concluiu.


Serviço:


Assunto: 6º Fórum: Revitimização Secundária: entraves no atendimento
Data: 30/03/2017
Horário: 9h às 12h
Palestrante: Drª. Sandra Ornelas – Delegada da Polícia Civil
Local: Teatro Metodista
Avenida Vereador Hemetério de Oliveira, s/n – Vila Pacaembu – Queimados


  • Seus dados

  • Nome completo *
    Digite seu nome completo
  • E-mail *
    Digite seu nome completo

  • Dados dos seus amigos

  • Limite de 10 e-mails por envio.
  • Nomes *
    Caso queira enviar para vários amigos, basta separar os nomes com vírgulas.
    Exemplo: George Gonçalo, Ana Leticia, Mauro Gomes
  • E-mails *
    Digite os e-mails dos seus amigos. Siga a mesma ordem dos nomes.
    Exemplo: george@email.com, ana@email.com, mauro@email.com
  • Mensagem *
    Essa mensagem será enviada para seus amigos, junto com a indicação